28° C

FUNDAÇÃO DE APOSENTADORIAS E PENSÕES DOS SERVIDORES DO ESTADO DE PERNAMBUCO
GOVERNO DO ESTADO DO PERNAMBUCO

Notícias

NEM TODA PERDA DE MEMÓRIA É SINAL DE MAL DE ALZHEIMER

Notícias

NEM TODA PERDA DE MEMÓRIA É SINAL DE MAL DE ALZHEIMER

  • 23/7/2010
  • 01h57min

Dando continuidade às atividades da II Semana da Cidadania Funape, a professora de educação física, Cristiana Jansen, tratou de animar e alongar os participantes com uma série de ginásticas laborais, a fim de trazer bem estar e desenvolver a prática de exercícios físicos a todos. Logo em seguida, a psicóloga Márcia Nery Cavalcanti, do Instituto Paulo Brito, ministrou uma palestra com o tema “O que podemos fazer para ajudar nossa memória?”, ensinando todas as partes do cérebro e suas devidas funções. No encerramento, o grupo de dança “As Frenéticas”, da Associação de Idosos Vida Longa de Moreno, formado apenas por mulheres idosas, se apresentou ao som de músicas nordestinas, além de que os estudantes do Senac, ofereceram cortes de cabelos e escova no hall de entrada da sede.

As principais causas da perda de memória, de acordo com a psicóloga, Márcia Nery Cavalcanti dentre elas, são as preocupações com os ocorridos no dia a dia e a desorganização das idéias. Este problema vem atingindo não só as pessoas com mais de 60 anos, como também os jovens, provando que, nem todo esquecimento, está diretamente ligado a doença de mal de Alzheimer.

Ela explica que, o cérebro grava apenas partes importantes dos acontecimentos, já que seria impossível de ser registrado tudo. O segredo de uma boa memória, seria primeiramente a organização das idéias. Mas isso, segundo ela, depende muito do âmbito social ao qual se vive, que envolve principalmente a educação aplicada pelos pais desde a infância. “Muitas vezes você está fazendo uma coisa, mas está preocupado com outra situação”, destacou. Segundo a especialista, uma noite mal dormida e o acúmulo do cansaço, também pode ser um fator contribuinte. Ela ainda ressalta que os homens e as mulheres possuem diferenciais. “ As mulheres possuem habilidades diferentes das dos homens, uma vez que elas conseguem fazer muitas coisas ao mesmo tempo e os homens não”, explicou.

A aposentada Maria Barbosa das Neves, 70 anos, do grupo “ As Frenéticas”, disse que acompanhou tudo com muita atenção. “Eu achei muito interessante tudo que foi falado pela 'doutora'. E inclusive estou muito feliz de estar hoje aqui me apresentando com elas, podendo mostrar minha dança”, ressaltou a aposentanda, que posteriormente mostrou suas habilidades que foram prestigiadas pelo presidente da Funape e pelos demais. Ao final todos puderam aproveitar de um momento de beleza com os profissionais do Senac, que estavam atendendo à todos com muita dedicação,  fazendo cortes modernos nos homens e escovas nas mulheres gratuitamente.